O Cárcere do Mercenário Infernal

Eu passei séculos lutando e escapando de coisas que são consideravelmente mais poderosas do que eu. Quando eu decido tirar alguns dias pra ver um pouco de violência gratuita o Ancião General aparece e deixa todo mundo com medo e, oportunamente, o Barão Necrossangue se rende ao seu pecado para me arrebentar na porrada. Como se não fosse o bastante, aquela Aasimar Caída usou de suas recomendações à Armada Macabra para me prender nesta sala de interrogatório imunda. Eu não sei quem diabos vai aparecer, mas se for quem eu acho que é, aposto que eu só saio daqui vivo com muita sorte.

Este foi o pensamento de Klaus Hellingson, conhecido como o Filho do Inferno, horas depois de ter sido capturado após um confronto contra Tomas Necrossangue na Arena de Ramael. A população de Inférnia ainda está em choque com a prisão do mercenário que até então era considerado uma lenda para todos que ali viviam. Como se não bastasse, uma explosão arcana de origem desconhecida está paulatinamente enfraquecendo a influência de Inférnia nas terras Minguantes e o número de herdeiros celestiais despertos está aumentando exponencialmente. O que suspeitam é que a visita de um ser primordial é iminente assim como o interrogatório que apenas uma pessoa de mente afiada é capaz de fazer.

Caminhando com robes de arcanista pelo quartel da Armada Macabra, uma mulher de pele preta em degradê com marrom e chifres retorcidos se aproxima de uma sala de interrogatório. Alta, altiva e austera, ela está acompanhada de outras duas mulheres. Uma delas têm cabelos brancos, olhos amarelos e estatura média para uma humana que usa trajes militares nobres de Lumius. A outra caminha com vestes longas, cabelo preso com a franja solta e com as mãos guardadas nas mangas de seus trajes ornamentados com pedras de jade das Terras do Eclipse. Ao se aproximarem da porta, a arcanista dá um aviso.

– Não façam perguntas ambíguas. Klaus tem uma língua afiada tanto quanto sua espada. Nossa única vantagem aqui é saber que ele ainda está ferido graças ao meu sobrinho. Sargento Áquila, fique atenta ao que estiver ao nosso redor. Mu, mantenha seus leques prontos. Vamos porque o tempo urge.disse a Mestra Conjuradora Telônia Necrossangue.

Ao entrarem na sala de interrogatório, as paredes úmidas deixavam o clima abafado para as humanas que acompanhavam Telônia. Millie, a Sargento Áquila, manteve sua postura militar impassível enquanto que Ling Mu permanecia em silêncio e atenta aos movimento de Klaus ainda que fossem poucos. O mercenário havia sido detido por amarras arcanas e um colar inibidor que a Família Áquila de Lumius desenvolveu. Telônia então se sentou na cadeira oposta a de Klaus, se apoiou na mesa e deu início a algo que ninguém de sua família havia feito até então.

– Klaus… quem diria que o primeiro de nós estaria nesta posição como qualquer outro ser de natureza Infernal de nossa belíssima cidade. Não vamos perder muito tempo com isso: o que você queria com a Ceifadora do Vazio?

– Eu não sei do que você está falando. – respondeu Klaus.

– Não se faça de tolo, mercenário. Você foi até a fazenda de meu sobrinho e a sequestrou após empalá-la com sua montante. O que você queria com a garota, Klaus?

– É bastante comum que mercenários não falem sobre os seus trabalhos, maga. É uma questão de honra.

– Honra? – indagou Millie. – Você também agiu muito tempo como contrabandista, patife! Não foi você o responsável por eliminar o Décimo Terceiro Clã de Jinlong para dar fim a aliança que eles tinham com os Tabaxi das Terras do Eclipse?

– Minha fama precede o meu nome. Você é bastante jovem para saber tanto sobre alguém como eu, Olhos de Enxofre.

– E você é velho demais para se lembrar da desonra que trouxe ao meu povo, ao meu clã e ao meu nome, Oni. – disse Mu rispidamente.

– Ok, deixa eu ver se eu entendi. O Tomas é seu sobrinho, então você é uma Necrossangue de segundo escalão. A Olhos de Enxofre conhece meu histórico de contratos e missões. Agora, a baixinha de olhos rasgados e óculos enormes foi desonrada por algo que eu fiz. Isso é um interrogatório para me manter preso ou uma entrevista para me contratar par algum novo trabalho?

As três mulheres se enfureceram. Telônia, em um lapso de consciência percebeu o que Klaus estava fazendo e estendeu o braço para que ambas não se aproximassem dele e sinalizou para que todas saíssem da sala. Millie foi a primeira a falar.

– Meu melhor amigo sofreu a vida inteira dele por causa deste patife! Você sabe como foi ver a única pessoa que realmente estava ao meu lado sem interesse em meu dinheiro e em minha posição militar novamente depois de uma vida de distância. – disse Millie aos prantos.

– O homem de quem ela fala é o órfão que eu trouxe à Brisalua e deixei em um cesto diante de uma casa nobre em Lumius. Ele agora é conhecido como Tony e aparentemente ainda está na cidade. O que não sabemos ainda é o que aconteceu com o último membro do Décimo Terceiro Clã de meu povo. – falou Ling com serenidade.

– Klaus pode nos dar respostas vivo ou morto. Conheço pessoas que estariam dispostas a prestar ajuda. O diálogo dele é a violência. Tragam a Devota de Zatur! – disse Telônia.

Algum tempo depois a porta da sala de interrogatório abre novamente. Millie se aproxima de Klaus e o liberta das amarras com o auxílio de Telônia. Mu se abana com o seu leque e é a primeira a deixar o local. Em seguida, Telônia e Millie saem também sem falar com o Filho do Inerno. Eis que uma figura de asas pretas, olhos vermelhos e com uma aura de sangue aparece atrás do mercenário.

– Lembra de mim, Filho do Inferno? Eu avisei que eu acabaria com você da próxima vez que o encontrasse. Você vai falar o que queremos vivo ou morto?

Tudo o que se ouviu do lado de fora foram os golpes pesados de Alexandra contra Klaus que não teve tempo de reação. Ele mal havia se recuperado do combate contra Tomas e agora a Ceifadora do Vazio estava massacrando-o de novo com as próprias mãos. Ele sabia que não havia outra escolha.

– Chega disso! Eu precisava do seu sangue e de outros herdeiros dos Pecados Originais para purificar Inférnia e libertar os Tieflings desta maldição. Eu faria tudo de novo para acabar com o que Dahaka fez com meus pais e eu ainda vou matar cada Necrossangue deste mundo, mas você vai morrer primeiro!

Alexandra se preparou para um golpe de misericórdia quando ouviu uma voz ordenando para que ela parasse. Ela reconheceu a voz e sabia que, ao matá-lo, estaria fazendo exatamente o que outra criatura desejava. A garota deixou a sala e Klaus caiu inconsciente.

A Armada Macabra ainda está com o Filho do Inferno sob custódia. Sargento Nin’alma e Major Salleck discutiam algo sobre seus próximos passos.

– Klaus está preso e ainda inconsciente. Ivy e Mikkel ainda estão na cidade e podem ser bons aliados. Miranda foi localizada e algumas guildas estão de mobilizando para encontrá-la e garantir a recompensa das capitais. Se este pergaminho for verdade, tudo o que fizemos até agora foi em vão, Major.

– Avise os Tempestuosos de Fragor com urgência. As Terras Cheias correm perigo.

O pergaminho trazia a mensagem:

“Ele retornou dos mortos na Costa Borrasca. Suas hordas de monstros recuraram para covis desconhecidos. A Cólera consumiu as almas e a Miséria corrompeu as capitais. A Contenta que está por vir é inevitável, mas pode ser adiada para que nos preparemos. Narkesh, a Serpente Profana retornou com uma Essência do Primeiro Necromante em si e sua sede por sangue anseia por uma nova guerra.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: