Limites são necessários

Limites. Quantas pessoas não sabem o que isso significa, não é mesmo? É bastante comum, mesmo que não devesse ser, que as pessoas não saibam quais são seus próprios limites nem mesmo quais são os limites de quem está ao seu redor e por isso acabam se envolvendo em situações consideravelmente tóxicas. A parte que mais me deixa preocupado é que pessoas que não respeitam limites não sabem ouvir não ao passo que as pessoas que não tem seus limites respeitados não sabem dizer não.

É um pouco preocupante para mim em um contexto geral que as pessoas não tenham consciência de quem elas são e de quais são suas limitações. Eu não falo sobre limitações físicas, mas sim emocionais porque todos somos capazes de sentir e de nos expressar de alguma maneira. Quando isso não ocorre de maneira saudável, pode acabar em reações instintivas que quando ocorrem em momentos de alta ansiedade podem colocar algo ou alguém em risco.

Então,eu fiquei pensando com os meus botões o que é que estava acontecendo comigo a algum tempo atrás para que eu permitisse que alguns limites meus fossem atravessados ainda que eu soubesse que estava errado e eu não sabia como reagir. A vida pode ensinar pela dor em algumas situações, mas sempre podemos aprender com outras pessoas que passaram pela mesma situação. Não cabe entrar em detalhes sobre o que é que me trouxe até aqui, mas a lição que eu tirei é que limites são necessários em qualquer tipo de relacionamento e eu posso dar os exemplos mais comuns de amizade, parental e amoroso.

Em qualquer nível de relacionamento é necessário que você tenha a liberdade de conversar abertamente para que as coisas fiquem esclarecidas e que as pessoas tenham em mente o que é que elas podem fazer para melhorar a relação e o que podem fazer para evitar situações desagradáveis. Algumas pessoas não se importam com o que as outras pessoas sentem enquanto que outras pessoas se preocupam demais com o que o mundo pensa sobre elas. Encontrar um ponto de equilíbrio em qualquer nível de relacionamento deve ser a base para conviver em sociedade porque este equilíbrio é o que vai impor os limites.

Relacionamentos amorosos deveriam ser leves para ambas as partes em todos os casos, mas todos nós sabemos que não é assim que as coisas funcionam. Quantas vezes não vemos em noticiários que pessoas cometem crimes passionais, violência doméstica e abusos dos mais diversos tipos dentro de suas residências. Eu não tenho base para dizer o que acontece em cada uma dessas situações, mas em meu ponto de vista é uma falta de diálogo franco entre as partes para colocar as coisas em ordem. Entender o que é que a pessoa que está ao seu lado sente, pensa, deseja e expôr o seu lado é essencial assim como estar presente em todos os momentos.

Tratando-se de amizades é comum que algumas pessoa tentem se moldar a um grupo para ter a sensação de pertencimento e abandonam seus próprios valores. Quando isso é feito internamente, pode causar depressão e quando é por livre e espontânea pressão, as pessoas sentem-se oprimidas. Quando alguém diz que você precisa ser flexível não é para você abandonar as coisas que você acredita e defende, mas entender que as outras pessoas pensam diferente de você e nem sempre vão concordar com tudo o que você fala. É uma questão de empatia que só é desenvolvida com a prática da conversa e da reflexão além de saber ouvir o que outra pessoa tem a dizer.

Relações familiares são, mas não deveriam ser, complicadas. Existem pais que sentem inveja dos próprios filhos, existem pais que não se importam com o que seus filhos sentem, existem pais que não desejam o melhor para os filhos assim como existem filhos que não dão a mínima para os pais e querem, em alguns casos, tomar para si o que é seu “por direito” antes mesmo de seus pais deixaram este mundo. Cada família possui seus pontos fortes e fracos e uma casa bem estruturada deve ser harmônica e agradável para todo mundo. Isso é algo que me faz pensar bastante porque já existem estudos comprovando que a geração atual tem muitos problemas emocionais por causa do que a geração anterior fez durante a formação dos jovens e adultos desta geração. Meu conselho é que você pode sim colocar limites para suas familiares sejam eles seus pais, irmãos ou qualquer outro nível de relacionamento porque a pessoa mais importante da sua vida é você mesmo e eu explico o porquê.

Quando você não está bem, não é possível fazer nada da forma que você gostaria em nenhum aspecto de sua vida. Você não consegue cuidar de outras pessoas, você não consegue trabalhar em um ritmo confortável, você não consegue nem mesmo pensar em seu próprio futuro. No momento que você toma consciência do que está acontecendo e decide mudar, focar em si mesmo para poder cuidar melhor de tudo que está a sua volta, você nota que tudo começa a melhorar ainda que a mudança seja caótica no começo. É neste momento que você percebe quais são os seus limites e o que é que te leva a chegar tão longe em sua jornada pessoal.

Voltando a questão dos limites, é extremamente importante que você coloque em ordem as coisas que você deseja fazer na vida para que as pessoas sigam seu próprio caminho e compreender quando você deve dizer não para algo ou alguém. Saber delimitar o que fazer ou não contigo é a forma mais pura e sincera de autocuidado de modo que sua convivência em sociedade seja mais leve. Quando você está aberto a colocar limites às outras pessoas, você também saberá quais são os limites delas tornando seus relacionamentos mais saudáveis, sinceros e duradouros.

Limites são muito necessários para que nós tenhamos uma vida saudável e este passo rumo ao autoconhecimento é o que pode nos gerar grandes conquistas no futuro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: