A Ruína do Monarca

Lumius está em chamas! O que houve para que isso acontecesse foi algo que muitos jamais seriam capazes de imaginar. A guarda havia sido desmantelada, os ministros estavam divididos e as três instituições remanescentes foram a Torre Obsidiana, a Ordem dos Campeões Meio-Sangue de Luna e a Academia de Artes Arcanas Elladrion ainda que todas elas tenham sofrido perdas consideráveis em suas patentes. O antigo bastião dos humanos foi arruinado por causa de uma criatura aliada ao maior perigo que Aylin já enfrentou.

Após o Julgamento da Névoa Rubra na capital, os membros das guildas que ali permaneceram investigando o passado da elfa que espalhou uma praga pelo continente começaram a desaparecer misteriosamente. Algumas pessoas suspeitavam que os Cultistas de Krivoc estavam envolvidos por conta dos mantos pretos e as máscaras de ossos encontrados nos locais dos desaparecimentos. Dentre as pessoas desaparecidas está o destemido Tyler Blackheart, um dos líderes da Torre Obsidiana assim como Antônio Lupo, um dos Clérigos da Ordem dos Campeões Meio-Sangue. Os remanescentes das organizações que permanecem na ativa estão sobrevivendo nas masmorras que ficam no subsolo da Capital Lunar Crescente.

As Masmorras do Eclipse Púrpura, como são conhecidos os calabouços de Lumius, agora é a base de operações dos Algozes Ferais, os campeões do Reino Argênteo liderados pelo Príncipe Cedrick Presaprata. Sara, Érico e Tharatiel enviaram seus melhores agentes para procurar as pessoas desaparecidas e agora precisam encarar a realidade sobre o que houve com o generoso e benevolente Rei Marcellus Presaprata II, o Herdeiro da Chama Esmeralda, que foi encontrado e declarado morto com marcas de mordidas de serpente logo após a revelação de que a pessoa que assumira seu lugar era o General Narkesh, o primeiro e único Arauto da Contenda de Krivoc.

— Eu sinto muito pela sua perda, Alteza. Ainda assim, não temos tempo para lamento pois precisamos retomar a cidade enquanto nossos agentes procuram aqueles que desapareceram. – disse Sara consolando o Príncipe.

— De fato, Alteza, a Lâmina Sombria está certa. Graças aos Tomos do Abjurador, estamos protegidos nas masmorras e indetectáveis para qualquer criatura que deseje invadir nossa atual base de operações. Creio que agora precisamos nos concentrar em desenvolver uma estratégia para conseguirmos eliminar os Yuan-Ti e os monstros que estão sob seu controle. – falou Tharatiel.

Sem dizer uma única palavra, Príncipe Cedrick olha para o canto e vê algo que ele julgava impossível por ser um momento íntimo do Campeão Meio-Sangue, Vingador e Paladino de Luna Érico. Ele estava ajoelhado como um acólito em uma prece contínua falando com sua deusa em um idioma desconhecido para todos ali. Ele estava fazendo isso por alguma horas até que se levantou de sua conversa divina e se dirigiu a mesa de reuniões emanado um brilho prateado espectral ao passo que presas e garras cresciam.

— Alteza, Lâmina e Arquimago. Creio que nós estamos com grandes problemas, mas garanto que temos a solução diante de nossos olhos. Além das nossas patentes, existe uma milícia agindo em prol da população em nossa cidade. Algumas das pessoas que sobreviveram à Névoa Rubra enquanto buscavam a cura estão eliminando as grandes ameaças da cidade e, aparentemente, dominaram o porto sob o comando de Rilo, o dono da Taverna do Peixe Podre e antigo Atirador de Elite da Guarda de Fragor.

— Rilo. – murmurou o Príncipe. – Nunca imaginei que ele seria tão leal a nossa cidade depois de ter sido acusado de traição após o desaparecimento de Helene. Além de provar sua inocência, ele encontrou nossa conselheira viva ao lado de seu filho adotivo.

— Agora precisamos pensar em como entrar em contato com os milicianos que defendem a população em solo. Existem locais na cidade com armamento que podem ser mais úteis do que armas comuns para eliminar as Salamandras Necróticas como são conhecidos os capitães de Narkesh.

Cedrick, Sara, Tharatiel e Érico começaram a planejar como fazer isso e a resposta mais óbvia era entrar em contato com Rilo para que ele reunisse o melhores e mais habilidosos dentre os milicianos para libertarem a cidade dos domínios de Narkesh. Uma vez que um dos distritos fossem retomados pelos milicianos, um dos Algozes assumiria o controle para acalmar e manter a população segura. Após mais algumas discussões todos concordaram que Sara era a mais furtiva para falar com Rilo sem revelar a entrada para as masmorras.

Naquela mesma noite, Rilo estava preparando algumas tigelas de Mingau de Mandioca para alimentar as pessoas que ele estava ajudando em sua taverna quando todas as lamparinas da cozinha se apagaram e, segundos depois, ascenderam misteriosamente. Assustado, Rilo procurou por sinais de invasão, mas não encontrou qualquer rastro. Ao chegar perto da sua mesa de ingredientes, ele encontrou um pergaminho e uma pedra com uma Pedra Rúnica de Mensagem. Ao ler, ele entendeu que precisava voltar a ação.

“Os Algozes estão caminhando sob a Sombra da Lua. Precisamos de milicianos dispostos a defender a cidade e retomar os distritos. Sabemos que você tem contato com cada um deles e está livre para montar uma equipe com o objetivo de retomar a cidade. Confiamos em sua experiência como Herói da Guerra das Feras e Major dos Tempestuosos de Fragor. Lumius conta contigo, Rilo de Costa Borrasca. A Runa de Mensagem servirá para convocar os milicianos que você considerar capazes desta missão. Escolha-os com sabedoria.” – S.B.

— Talvez fazer apenas o mingau não vai ser o bastante desta vez. É hora de voltar à luta!

Ao terminar de ler e pensar, Rilo foi até um baú no qual estavam seus antigos equipamentos de aventura, se vestiu, foi até o salão de sua taverna e releu o pergaminho para os milicianos. Logo que terminou a leitura algumas pessoa se levantaram para vingar o evento que todos estavam chamado de A Ruína do Monarca.

Ver as pessoas se levantando para libertar a cidade lhe fez lembrar de seus antigos companheiros de guerra. Todos eles estavam prontos para se sacrificar por pessoas que nenhum deles conheciam e outros buscavam salvar seus entes desaparecidos. Os primeiros que deram passos à frente começaram a ser encarados por todos e Rilo, como bom Pequenino que é, olhou para eles apostando que a sorte estaria a favor deste novo grupo de aventureiros.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: